Buscar
  • Equipa RTM ME

Mãos - um simples membro?


Olá amiga! Não podemos evitar esta pergunta óbvia: o que faria sem as minhas mãos?


Há tantos anos que as utilizo, fazendo toda a espécie de coisas e nunca se queixam. Descansam um pouco durante a noite enquanto dormimos, mas mal acordamos elas começam a sua tarefa. Não é fascinante? A maneira como são formadas, é também maravilhosa e ao mesmo tempo complicada. Seguram os bebés, tocam as pessoas que amamos, com elas, tocam instrumentos musicais que fazem música para nosso deleite. As pessoas invisuais, até utilizam as mãos para ler através dos dedos. As mãos podem curar, tratar feridas, dar remédio aos doentes. Mas as mãos podem também ferir. Há mãos que matam, destroem a inocência das crianças ou ferem profundamente o corpo e a alma de outra pessoa.


Mas hoje, gostava de falar-vos do que acontece quando damos as nossas mãos a Deus, ao nosso Senhor que nos ama. Isso leva-nos a perguntar: para que quereria Deus as minhas mãos? Ou, o que posso fazer para Ele com as minhas mãos. Ele está interessado nelas? Sim, está. Sabe, as mãos são um símbolo de serviço. Deus está interessado no nosso serviço a Ele e aos outros. Acima de tudo, Deus está interessado em fazer-nos semelhantes a Jesus Cristo. A Bíblia fala disso no evangelho de Marcos: “O Filho do Homem veio para servir e para dar a Sua vida”. Serviço e dádiva de si mesmo. Deus quer que tenhamos as qualidades de Cristo, quando servimos as nossas famílias, os nossos amigos e a nossa nação.


A maior parte das pessoas no mundo trabalham em excesso. Na Asia, as mulheres fazem 75% do trabalho agrícola, além de tudo o que têm que fazer em casa. Sinto um grande respeito por estas mulheres. Muitas trabalham, 10, 12, 14 horas por dia, todos os dias. Quem sabe se alguém que nos escuta/lê está nestas condições...estes membros do nosso corpo que seguram, manuseiam, apontam, agarram, acariciam, batem, esmurram, ferem, servem, dão, distribuem, salvam e fazem tanto que não dá para descrever tudo como mulheres, a nossa vida é uma de serviço. Quer gostemos ou não, temos que servir. Como filhas, profissionais, esposas e mães, gastamos a nossa vida servindo e cuidando das necessidades da nossa família, da nossa casa, dos nossos empregos. Desde o momento em que uma mulher concebe um bebé, começa a servir aquele bebé com o seu corpo, sangue e alma. Mais tarde, vai ficar em casa, para tomar conta dessa criança, cuidar, banhar, alimentar. Dentro de poucos anos, serve-o ensinando, ajudando nas tarefas escolares, levando-os à escola, ao desporto, ao médico. Não há dúvida que serviço, é uma parte inerente à vida de qualquer mulher.


Mas ainda gostava de falar-vos de um outro tipo de serviço. Há muitas mulheres que servem por obrigação. Odeiam o que fazem e mostram-no pela maneira como tratam quem está à sua volta. São irritadas, prontas a explodir, a gritar e a bater nos filhos. Neste tempo de isolamento, é tão fácil perder a paciência e usar as mãos para gestos que nada têm a ver com amor ou cuidado.


Mas também há outro tipo de mulher, que serve com alegria, com gosto, não apenas com as suas mãos, mas com o seu coração. Mulheres que amam o que fazem. Amam os maridos, os filhos e não se queixam do tanto que há para fazer. Têm uma atitude saudável e a vida é mais fácil para elas porque não gastam toda a sua energia a lutar contra tudo. Estou aqui, mais uma vez, a lembrar-me da minha querida mãe. Uma casa cheia de filhos, tanto para fazer, sem nunca se queixar. O sorriso parecia que nunca saía dos seus lábios e havia sempre uma canção a ser cantarolada debaixo desse sorriso. Todo o seu ser, respirava serviço. Tal como a mulher de honra, virtuosa, descrita na Bíblia no livro de Provérbios. Diz que essa mulher tem mãos felizes, mãos que estão sempre prontas a fazer o que precisa ser feito. Todas as vezes que servimos os outros, estamos a servir a Deus.

Numa outra passagem está escrito que seja o que for que fizermos, deve ser feito alegremente, como ao Senhor. Ele deseja o serviço das nossas mãos, mas tem que ser acompanhado com uma correta atitude do coração. Ele deseja muito que vençamos pensamentos negativos, más atitudes, preguiça e qualquer coisa que nos impeça uma vida de serviço e de nos doarmos em amor e alegria.


Talvez a querida amiga esteja no tal grupo de pessoas que trabalham demais, se esforçam demais. Hoje e um bom dia para fazer uma reflexão. Será que todo esse esforço é benéfico para si? E para os outros? O seu serviço, aquilo em que as suas mãos estão envolvidas, é benéfico, é real, transforma a vida daqueles que toca?


Já falámos aqui, mais do que uma vez, que, quando estamos cansados podemos ir a Jesus, que Ele está pronto para nos aliviar, para nos relaxar e trazer descanso verdadeiro. Faça isso hoje.


Agora, olhe para as suas mãos (não se esqueça de lavá-las!) e aí mesmo onde está faça comigo esta oração:


"Senhor, meu Deus, agradeço-te pelas minhas mãos e pelas oportunidades que tenho de, com elas, poder servir outros e tocar a vida de outros. Ajuda-me a fazê-lo sempre com uma atitude de alegria no meu coração. Mas se houver alguma mulher a escutar-nos que está muito cansada e sente que tudo o que faz não é agradecido, não é retribuído, peço para ela a Tua paz. Dá-lhe descanso, alegria e força. Obrigada, Senhor por que ouves as nossas orações. Ámen."


Texto: Sarah Catarino (extraído do programa "Mãos Lavadas")


Pode ouvir este programa completo na nossa página do Youtube aqui:



0 visualização

+351 211 581 128

©2020 por RTM Mulheres de Esperança. Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now